AQUI D'EL REI

Imagem recolhida do blogue ESTREMOZ EM DEBATE

Há muito que se assiste em Estremoz a uma utilização indevida e ilegal do espaço público, que é um espaço de todos nós. E tal acontece porque alguns, num exercício abusivo de cidadania, fazem uma interpretação errónea do conceito de público e o adaptam à medida das suas conveniências pessoais, sejam elas permanentes ou temporárias. Os outros que se lixem! Autoridade? O que é isso?

ESTACIONAMENTO
Estaciona-se de qualquer maneira: em fila dupla, mesmo em cima da curva, em locais de estacionamento proibido, em cima do passeio, a bloquear o acesso a garagens, a condicionar a entrada e a saída em locais de estacionamento destinados a deficientes. Estaciona-se parcialmente em cima de passadeiras de peões e em locais reservados a carga e descarga. Porquê? Porque dá jeito! Código da Estrada? O que é isso? Plano de Trânsito? O que é isso? Autoridade? O que é isso?

CIRCULAÇÃO DE PEÕES
A circulação de peões nos passeios começa por estar condicionada ao espaço deixado livre pelo estacionamento em transgressão. Começa, mas não acaba. Há passeios onde não se consegue transitar porque estão ocupados por grades de botijas de gás. Há passeios onde vasos com grandes dimensões dificultam o trânsito pedonal. O que é isto? É uma ponta visível do iceberg. Porém, há mais. Torna-se necessário ter cuidado ainda com os sinais de trânsito e com os toldos, que muitas das vezes não respeitam a altura regulamentar. Porquê? Porque dá jeito! Regulamentos? O que é isso? Autoridade? O que é isso?

HIGIENE E SALUBRIDADE
Deita-se lixo fora dos contentores, porque às vezes eles estão cheios. Sabem porquê? Porque há quem continue a ignorar a existência de eco pontos e continue a deitar nos contentores do lixo, embalagens de plástico e de cartão, por vezes de grandes dimensões.
Também junto aos contentores se verte lixo pesado ou de grandes dimensões, fora dos dias em que está regulamentada a sua recolha. E há ainda quem vaze lixo a granel dentro dos contentores.
Porquê? Porque dá jeito! Regulamento de Recolha de Lixos? O que é isso? Plano de Salubridade? O que é isso? Autoridade? O que é isso?

POLUIÇÃO VISUAL
A cidade parece uma enorme coutada da EDP e da Cabovisão, sobretudo da primeira. Ao longo do tempo têm maculado as paredes e o espaço aéreo com emaranhados irregulares e caóticos de cabos negros, que muitas vezes, bamboleantes, atravessam as ruas de um lado para o outro. Isto foi uma “cidade branca” na voz autorizada do poeta Silva Tavares. Agora é uma selva em que os cabos negros desempenham o papel de lianas.
Porquê? Porque dá jeito! Onde estão as normas de colocação de cabos? O que é isso? Plano de protecção da paisagem urbana? O que é isso? Autoridade? O que é isso?

A VOZ DO POVO
Diz-se por aí que algumas das situações de utilização indevida do espaço público, nunca foram alvo de licenciamento. O mesmo se diz de toldos de alguns estabelecimentos comerciais e de esplanadas de alguns cafés. Será verdade? É a voz do povo. E que o povo fala, fala. Mesmo quando alguns não querem que ele fale.

SEM REI NEM ROQUE
É altura de fazer um balanço de tudo o que atrás foi dito e fazer a sacramental pergunta:
- De quem é a culpa?
Eu respondo:
- A culpa é de todos os prevaricadores que nutrem um olímpico desprezo por tudo aquilo que é público, o qual interpretam como sendo exclusivamente seu.
- A culpa é igualmente daqueles que mansamente assistem à violação dos seus direitos e não reagem.
- A culpa é finalmente daqueles que vocacionados para o exercício do dever de fazer respeitar a coisa pública, estão distraídos com outros afazeres.

REPÚBLICA DAS BANANAS
Estamos em ano de Comemorações do Centenário da República Portuguesa, mas uma vez que isto anda “Sem Rei nem roque!”, é caso para clamar:
- Aqui d’El-Rei!
- Se isto é uma República, eu quero ser monárquico!
- Voltai El-Rei, que sereis perdoado!

 Publicado também no jornal ECOS, nº  94 (21-10-20109)

0 comentários:

Publicar um comentário